segunda-feira, 18 de junho de 2012

O Santareno

O Santareno

Sou o sonhador, que facilmente nas estrelas se perde,
Um mero maestro, que nenhuma banda rege,
Sou o casulo de esperança, da terra que protege,
Sou o local onde a fascinação e a paixão facilmente se convergem.

Sou o carpinteiro, que cria coberturas para outros se abrigarem,
O padeiro, que fornece o pão de cada dia,
Sou o moleque da praça que vende o jornal,
Sou brasileiro, e também louco por futebol e carnaval.

Sou o cantor, que exalta a Pérola do tapajós,
Um escritor, que descreve cada canto dessa cidade,
Sou o pintor, que ilustra pura saudade,
Sou o gari, que admira esse pôr do sol e sua unicidade.

Sou o turista, que aqui de novo quer voltar,
O vendedor, que de vez em quando, as águas, para pra admirar,
Sou os namorados, que na orla costumam se encontrar,
Sou os perdidos, que pra cá com certeza irão retornar.

Sou o caboclo, que mergulha nas águas do Tapajós,
O sortudo, que conhece Alter do Chão,
Sou o boto que dança o Sairé,
E de quem conhece a Ilha do Amor, sou a paixão.

Sou o estudante, o professor, o pedreiro, o Doutor,
Sou o carteiro, o locutor, o frentista, o soldador,
Sou o canoeiro, o agricultor, o feirante, o pescador,
Sou o motorista, o cobrador, o taxista, o morador.

Sou a admiração, nas histórias dos mais velhos,
Sou o fascínio, nas palavras de um poeta,
Sou dessa terra que tanto me dar prazer,
Sou de Santarém, e mocorongo tenho orgulho de ser.

Wemerson Rafaell...
Postar um comentário