segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Eu e a Chuva


Eu e a Chuva.





O dia começou tão belo,
Eu ansioso por ela encontrar,
Mas, a chuva de repente caiu tão intensa,
“Pentelhisse” de uma menina má.

“Chuva, chuva, porque veio acontecer?”,
Me pus com ela indagar,
“Não sabes que hoje é o dia,
Que com minha amada irei encontrar?”


Como quem gargalha da tristeza,
Raios e trovões ela jogou,
Uma ventania intensa fez acontecer,
Tentando estragar meu momento de amor.

“Chuva, chuva, volta outro dia,
Hoje quero ver o sol brilhar,
Foge com tuas nuvens negras,
Quero nuvens alvas e o céu azul azular.”

Ela soprou mais ainda,
Ela molhou cada vez mais,
“Anoiteceu” o meu dia,
Como numa manhã que anda pra trás.

Quando me vi cabisbaixo,
Com o sol comecei a conversar:

“Sol, sol, vem pro céu brilhar,
Quero ver-te nesse instante,
Quero você por aqui,
Deixando esse dia mais e mais radiante.”



E como num sonho bom,
Raios de sol as nuvens atravessaram,
As nuvens negras se dispersavam,
Os pássaros canoros voavam e cantavam.

E aquele amanhecer tão belo,
Finalmente ressurgiu,
E de felicidade intensa,
O meu peito por completo se cobriu.

Todo sorridente agora vou,
A minha linda amada encontrar,
“Eu e a chuva” terminou,
Mas, “Eu e você” vai apenas começar.



Wemerson Rafael...


Postar um comentário