sexta-feira, 3 de junho de 2011

Encontro-te

Encontro-te

Encontro-te, em um lugar,
Onde o paraíso é perfeito,
Onde o seu brilho,
Ilumina até o sol.

Encontro-te, como obra de arte,
A mais bela,
E que me deixa incandescente de dúvidas,
Com escolhas insensatas,
Passando freneticamente na minha cabeça.

Escolher colhê-la,
Ou regala com amor e carinho;
Ou então, apreciá-la de longe,
No canto sozinho.

Flor minha,
Que me paralisa com um olhar,
Que me deixa incapaz;
Que me faz relembrar,
Que sou um estúpido rapaz.

Sou insano, um ignorante,
Um apaixonado, um completo idiota,
Que nunca tem razão;
Que encontrou o paraíso,
E só vê isso,
Como forma de diversão.


Flor minha, perfeição divina;
Obra de arte, tão pura e perfeita.

Tão bela armadilha,
Que me captura,
Sem eu perceber;
Que me ilumina,
Feito o amanhecer.

Eu insano,
Maluco sem saber,
Perdido num labirinto,
Onde amor é solução;
Onde você é a armadilha,
Que capturou meu coração.



Wemerson Rafael...


Postar um comentário